O império da “futilidade”

“Não é possível compreender a evolução da sociedade sem dar importância à moda, à sedução, ao luxo” Gilles Lipovetsky – Filósofo.

Primeira revista dedicada ao universo feminino, "O Cruzeiro" ditava a moda nos anos 40 e 50.

Segundo o livro Folha Explica a Moda, “A moda é um sistema que acompanha o vestuário e o tempo, que integra o simples uso das roupas no dia-a-dia a um contexto maior, político, social, sociológico”. As mudanças sociais podem ser percebidas se analisarmos as diferentes vestimentas através dos séculos. Nem por isso a moda se destaca nas vertentes do jornalismo, sendo ainda hoje considerada frívola e fútil. Os jornalistas de moda cumprem as mesmas regras básicas que valem para qualquer outra área do jornalismo, mas constantemente reclamam dos olhares desconfiados dos profissionais de outros segmentos.

O preconceito surgiu nos anos 70, durante o regime militar, no qual o jornalismo – apesar da censura – nunca deixou de ser crítico. Mas o jornalismo de moda passou a ser visto como alienado, pois não estava ligado a política nem a economia.

Algumas coberturas jornalísticas foram tomadas pelo caráter comercial, intitulando as marcas e pessoas como mais importantes do que a moda em si. Mas o século XXI, junto com a globalização, abriu portas para os comunicadores, exibindo desfiles e novas coleções ao vivo através do computador. Como conseqüência da acessibilidade, o público se torna mais exigente quanto à qualidade e ao conteúdo da informação. A partir daí, a principal responsabilidade do jornalista passa a ser no entendimento do foco de interesse do seu público e no conhecimento de suas expectativas.

Em entrevista ao jornal Tribuna do Norte, o estilista brasileiro Ronaldo Fraga, diz que “a moda é a leitura do tempo” e considera um “desavisado” aquele que julga a moda como algo fútil.

Segundo a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex), o Brasil possui a sexta maior indústria têxtil do mundo e, até o final de 2010 espera exportar cerca de 456 milhões de dólares para países como China, Colômbia, Estados Unidos e México.

Cursos

Jornalismo de Moda

Istituto Europeo Di Design (IED)

Rua Maranhão, 617 – Higienópolis.

Tel.: 3660 – 8000

História da Moda

Escola São Paulo

Rua Augusta, 2239 – Consolação.

Tel.: 3060 – 3636

Foto: patrimoniografico.wordpress.com

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Mosaico

Uma resposta para “O império da “futilidade”

  1. Rita

    Mari, tá lindo!!! Invista sempre nessa área, pq vc tem futuro!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s